quarta-feira, 18 de junho de 2008

Heil Mosley

Amigos leitores, amantes do automobilismo, meu nome é Guilherme Gomes, vulgo Iceman tenho 23 anos, sou natural de São Paulo, e essa é minha primeira participação no blog Loucos por F1, gostaria de agradecer o espaço cedido pelo Leandro e pelo Deyvison, pretendo contribuir ao máximo e levar sempre assuntos de qualidade.

A Fórmula 1 atual pós-Schumacher entrou na “era dos tablóides”. São demissões repentinas, contratações impossíveis, escândalos sexuais, espionagem, e uma gama de outros assuntos que nos fazem prestar atenção no esporte além do domingo da corrida. Claro que a Formula 1 sempre fez parte do noticiário, afinal é o esporte mais visto depois da Copa do Mundo, mas pela primeira vez chega as páginas policiais e toca na ferida de valores morais.

Pois bem, entre esses casos, o que mais chamou a atenção, de longe, foi a orgia nazi-fascista com ares masoquistas de Max Mosley, presidente FIA, com cinco prostitutas vestidas com roupas de presidiários da Segunda Guerra Mundial.

O fato por si só é tido como uma grande heresia, em vista do que foi o holocausto para o mundo. Ter sido feito pelo Presidente da Federação Internacional de Automobilismo, piora as coisas ainda mais e, como se não fosse ainda mais agravante, seu pai, Sir Oswald Mosley, é um dos fundadores do Partido Fascista Inglês e era amigo pessoal de Adolf Hitler.

O evento ocorrido no bairro nobre de Chelsea, Inglaterra, teve repercussão imediata na mídia e, não tendo como se defender dos fatos, coube a Mosley se desculpar e enfrentar a tudo e a todos para se manter em um cargo que vai ficando cada vez mais desconfortável.

A saída de Max da presidência da FIA já estava sendo cogitada antes dos escândalos, nomes como do francês Jean Todt, que já eram citados, ganharam coro depois do ocorrido.

Grandes nomes da Fórmula 1 elogiam o trabalho realizado por Mosley, que está na Presidência desde 1993 e passou pelo trágico GP de Ímola em 1994, que culminou com morte de Ayrton Senna, pelo período de reinado e previsibilidade da era Schumacher, que acabou tirando o interesse geral da audiência pelas corridas previamente definidas. Mas ele persiste em mudanças nas regras na busca pela mesma audiência que foi encontrada em suas estripulias sexuais.

A fantasia erótica de Mosley é algo que deveria ser secreto e inconfessável. Remexeu com a triste história recente mundial, no câncer do século XX e revirou a Quimera que o mundo tenta esquecer como Hitlers, Mussolinis, Francos. Trás a tona toda a imagem negativa do nazismo, da suástica, das vidas perdidas pelo racismo, das loucuras de um tirano.

Ter Max Mosley, com sua experiência e competência à frente do órgão mais importante do automobilismo mundial é algo de extrema importância para a Fórmula 1, mas tê-lo, após a imagem manchada, passa a ser um desconforto, uma afronta às negociações. A moção de confiança ao atual presidente era previsível, pois Mosley é um sujeito competente, porém a Fórmula 1 é política pura, há acordos, negociações e muito dinheiro envolvido, e a presença de Mosley na presidência tira um pouco da transparência moral da Federação. É como manter o Lula na Presidência após o “Mensalão” diante do povo passivo, mas transtornado, como manter Clinton após a felação diante do puritanismo americano exacerbado. A ética, a moral, a veracidade saem perdendo. É hipocrisia, sabemos muito bem, mas imagine o tamanho do desconforto de uma negociação com países como Alemanha, Áustria ou Polônia. Na política é necessário ser transparente, ser um cidadão politicamente correto, ter a família estruturada e um passado sem manchas. Mosley não mais o é, e não por seu histórico, mas por este fato isolado. Pode ser um cidadão honesto, deve pagar seus impostos em dia, mas não terá mais a honradez de um chefe soberbo que não erra, não se engana. Ele caiu do pedestal na frente de todos, de quatro, manchou as mãos por uma pequena fantasia de cunho duvidoso e peculiar. Se fossem empregadas domésticas, enfermeiras, colegiais, seria um fato engraçado, mas foram uniformes de presidiários do fato mais lamentável da história recente. Fazê-lo não é um crime, mas torna-se algo vexatório, um desrespeito com os que desta guerra sofreram, direta ou indiretamente. A bizarrice exuberante de Sir Max Mosley pode tê-lo feito adiantar sua aposentadoria, mas ele brigará bravamente para se manter à frente da Organização, pois terá de fazer uma gestão extraordinária, não para que todos esqueçam o tal fato, mas para amenizar o mesmo com grandes feitos para o esporte.

Pelo reboliço internacional e os eventuais transtornos causados pela sua simples presença, é bem provável que o fim da era Mosley esteja próximo.

Auf Wiedersehen, Herr Mosley.

Iceman®2008

5 comentários:

GiglioF1 disse...

Guilherme,

Interessante sua dedicao e riqueza de detalhes.
Concordo que sua presenca é nefasta hoje e prejudica a imagem do esporte.
Imagina quanto se passa sem que se saiba nada.
Boa sorte e abraco do Giglio!

Priscilla Bar disse...

Afff...Guilherme,estou de acordo.

Mosley perdeu total credibilidade perante muitos.

Tá na hora de reformular a F1.Fora Mosley e Ecclestone,pelo amor de Deus!Esses senhores deveriam estar em casa cuidam dos seus problemas e fazendo suas festas sem que ninguém os grave...rs

Um tem 70 o outro tá quase nos 70...

eu pediria demissao pela vergonha mais que tudo...

Marcos Antônio Filho disse...

excelente texto Guilherme1
realmente são horas de mudanças,Mosley vai lutar pra ficar até o final do contrato(e vai cosneguir),e o Ecclestone só sai do cargo dele depois de morto!
enquanto isso,só resta esperar mesmo,pelo menos em 2009 o mosley sai...

abraços!

Marcos - Blog da GGOO disse...

Grande Iceman!!
Sempre com ótimos textos, só pra variar.

Vc já falou tudo, e agora fica a pergunta: o que vale mais, toda sua boa "pilotagem" nos meandros da F-1 ou sua "derrapada" na vida particular, que por consequência afeta a imagem profissional??
O assunto é bastante polêmico e controverso, e ainda vai render.

Ice, sucesso na nova empreitada.
O blog, que já era bom, ganhou muito com sua presença.
Parabéns!!

Augusto Roque disse...

Ice,

Parabéns pelo (mais um) brilhante texto.

Muito sucesso nesta nova empreitada.

Abraços,