sábado, 30 de maio de 2009

Acordo e lotação máxima para 2010


Finalmente chegamos ao fim de mais uma novela mexicana na Fórmula 1. Após muitas especulações e ameaças, a FOTA anunciou que todas as equipes estarão presentes na temporada de 2010. Mas esta confirmação não saiu barato, pois a Associação do Times da Fórmula exigiu um novo Pacto da Concordia.

Para o ano que vem os gastos serão reduzidos, mas este valor não será aquele que a FIA tinha pretensão de estabelecer. A intenção é reduzir o orçamento aos poucos, ano após ano. Até isso acontecer, a FOTA ainda pode brigar novamente para que o teto não vingue.

O mais engraçado é saber que dias atrás nenhuma equipe estava inscrita e agora há uma super lotação para a disputa da próxima temporada. Lola e Litespeed confirmaram inscrição, totalizando 15 escuderias. Só que mais um time surgiu querendo uma vaguinha, a March. Agora são 16 equipes disputando 13 vagas para o Campeonato Mundial de 2010.

Neste ano houve sofrimento para ter um grid com 20 carros, mas em 2010 teremos um campeonato farto de bólidos, com capacidade máxima. O anúncio das escuderias que disputarão a próxima temporada vai sair no dia 12 de junho. Só espero que a qualidade sobressaia a quantidade.

Leandro Montianele

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Será que alguém vai parar a Brawn?


Uma verdadeira novela em relação a falida equipe Honda tomou conta da Fórmula 1 no início da temporada. Depois de muita especulação em torno do caso, eis que surgiu a Brawn GP, escuderia do chefe Ross Brawn. Nos testes, pouco antes do início da temporada, seus carros estiveram sempre nas primeiras posições, mas ainda assim todos estavam desconfiados. Diziam que era apenas para atrair patrocínio.

Chegou o dia da primeira corrida do campeonato, o Grande Prêmio da Austrália, e a Brawn dominou por completo, com direito a dobradinha. Após este triunfo, começaram a dizer que em breve perderiam o fôlego, mas até agora nada aconteceu. Já se passaram seis provas e eles continuam imbatíveis. O piloto que tem brilhado é Jenson Button, vencedor de cinco corridas.

A pergunta que muitos gostariam que houvesse uma resposta é: Quem irá para a Brawn GP? No atual cenário da categoria é difícil enxergar alguma equipe que possa fazer frente a escuderia de Ross Brawn. A Ferrari chegou a esboçar uma reação, mas ainda não me convence. Os ingleses da McLaren continuam lutando para melhorar. Já a Red Bull, que poderia tentar algo, tem perdido terreno.

Se a "regrinha tosca" (quem vencer mais leva o título) tivesse sido implantada nesta temporada, Jenson Button já era praticamente campeão. Este, pode acabar se tornando um campeonato chato, com o predomínio total de uma equipe e um piloto. A briga mesmo será pelo vice-campeonato, sendo Barrichello o grande favorito. Depois de duas temporadas com decisões emocionantes, na última corrida, poderemos ter o retorno da monotonia, infelizmente.

Alguém aí pode parar Brawn e sua turma, por favor?










Leandro Montianele

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Resultados do Bolão

(clique na imagem para ampliar)

A maioria dos apostadores levaram fé numa possível vitória de Rubens Barrichello, mas isso não aconteceu. Diante disso, a galera que apostou no brasileiro se deu mal, inclusive este que vos escreve.

O líder Felipe_rsl conseguiu se manter na ponta e chegou a abrir uma maior diferença em relação ao Deyvison, segundo colocado. O destaque da etapa foi o Jobson que cravou ótimos 36 pontos e pulou da décima para a terceira posição na tabela de classificação. O atual campeão Marcelonso continua com problemas em sua Renault, amargando assim apenas o décimo primeiro lugar.

O Bolão retorna no Grande Prêmio da Turquia, daqui a duas semanas. Vamos ver quem será capaz de desbancar nosso amigo Felipe.

Leandro Montianele

domingo, 24 de maio de 2009

Troféu Papaléguas e Troféu Braço Duro GP de Mônaco


Troféu Papaléguas

Jenson Button - o piloto da Brawn GP dominou por completo o Grande Prêmio de Mônaco e venceu sem sar chances a seus adversários. Button imprimiu um ritmo de corrida muito forte, abrindo assim uma grande diferença para o segundo colocado. Depois disso foi só manter para levar com tranquilidade o carro até a linha de chegada. O inglês entra para o seleto grupo de pilotos que triunfaram nas ruas do Pincipado e abre ainda mais na classificação do mundial de pilotos.

Ferrari - após um péssimo início de temporada, a equipe italiana conseguiu uma evolução segnificativa e posicionou seus dois carros em terceiro e quarto, respectivamente. Tanto Kimi Raikkonen quanto Felipe Massa andaram muito bem, tirando o máximo do bólido durante toda corrida. Agora basta saber se a Ferrari conseguirá manter esta boa performance apresentada em Mônaco.





Troféu Braço Duro

Sebastian Vettel - o alemão da Red Bull não estava em um bom final de semana. Vettel era considerado um dos favoritos, mas na décima quinta volta cometeu um erro e foi parar direto na barreira de pneus na Sainte Devote. Fim de corrida para o piloto da RBR que se mantém em terceiro no campeonato.

Sebastien Buemi - o suíço que está em sua temporada de estréia na Fórmula 1 acertou em cheio a traseira de Nelsinho Piquet, tirando ambos da corrida. O mais engraçado foi o comentário do brasileiro: "Isso que dá colocar pilotos sem experiência na Fórmula 1". Até parece que ele é muito experiente. Dessa vez a culpa foi de Buemi mesmo.

E para você, quem mereceu o Troféu Papaléguas e o Troféu Braço Duro?

Leandro Montianele

Button voa nas ruas do Principado

O piloto que tem dominado a temporada brilhou de novo, mas dessa vez foi nas ruas do Principado de Mônaco. Jenson Button apenas confirmou as expectativas, sobrou na pista e conquistou sua primeira vitória em solo monegasco. Button precisou apenas sustentar o primeiro lugar na largada para logo em seguida abrir vantagem e vencer sem ser incomodado por ninguém. O inglês abriu ainda mais no campeonato e caminha a passos largos para o título.

Para completar mais uma dobradinha da Brawn GP, Rubens Barrichello chegou na segunda posição. Rubinho conseguiu ultrapassar Raikkonen logo na largada, mas não teve condições de acompanhar o ritmo forte de seu companheiro de equipe. O brasileiro chegou a tomar uma pressão do finlandês da Ferrari que não deu em nada. Depois do segundo pit stop foi só levar o carro até a linha de chegada.

Após cinco corridas passando em branco, a Ferrari chegou ao pódio pela primeira vez na temporada com o terceiro lugar de Kimi Raikkonen. Logo na largada o finlandês perdeu o sugundo posto para Barrichello, mas ao decorrer da prova manteve um bom ritmo e se sustentou em terceiro.

Felipe Massa, que terminou logo atrás de seu companheiro de Ferrari, andou muito bem nas ruas de Monte Carlo. O piloto brasileiro guiou tentando extrair toda a capacidade de seu carro, virando sempre muito rápido. Felipe poderia até ter conseguido roubar o pódio de Kimi, mas quando estava de tanque vazio precisando virar forte, acabou sendo limitado por Button que tinha voltado do pit naquele instante. O balanço foi positivo para Massa.

A equipe Red Bull não obteve a performance que muitos esperavam e conquistou apenas um quinto lugar com Mark Webber. O piloto australiano, que largou em oitavo, acabou saindo no lucro com o resultado final.

Nico Rosberg, da Williams, foi um dos poucos pilotos que fizeram ultrapassagem na corrida, mas mesmo assim não passou de um sexto lugar. Fernando Alonso, da Renault, chegou em sétimo e somou mais dois pontos no campeonato. Sebastien Bourdais, depois de muitos calculos, fechou os oito primeiros do GP de Mônaco.

A corrida não foi tão movimentada como gostariamos, nem o safety car precisou ser acionado. Sendo assim, Button dominou até o final sem nenhuma ameaça. A pergunta que não que calar é a seguinte: quem será capaz de parar Jenson Button e Brawn GP? O próximo GP será em território turco daqui a duas semanas, espero algo de novo por lá.

1. Jenson Button (ING/Brawn GP) - 78 voltas em 1h40min44s282
2. Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP) - a 7s666
3. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 13s443
4. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 15s110
5. Mark Webber (AUS/Red Bull) - a 15s730
6. Nico Rosberg (ALE/Williams) - a 33s586
7. Fernando Alonso (ESP/Renault) - a 37s839
8. Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso) - a 1min03s142
9. Giancarlo Fisichella (ITA/Force India) - a 1min05s040
10. Timo Glock (ALE/Toyota) - a 1 volta
11. Nick Heidfeld (ALE/BMW) - a 1 volta
12. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - a 1 volta
13. Jarno Trulli (ITA/Toyota) - a 1 volta
14. Adrian Sutil (ALE/Force India) - a 1 volta
15. Kazuki Nakajima (JAP/Williams) - a 2 voltas

Não completaram

Heikki Kovalainen (FIN/McLaren)
Robert Kubica (POL/BMW)
Sebastian Vettel (ALE/Red Bull)
Nelsinho Piquet (BRA/Renault)
Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso)

Leandro Montianele

sábado, 23 de maio de 2009

Button domina mais uma vez

A fase que Jenson Button está vivende é esplendorosa, o inglês tem sobrado na Fórmula 1. Em mais um final de semana quem dá as cartas é ele e com méritos de sobra. Button cravou a pole para uma das mais charmosas corridas da temporada, o GP de Mônaco. Como ultrapassar nas ruas do principado é muito complicado, o inglês já começou a trilhar o caminho para seu quinto triunfo em seis provas.

Kimi Raikkonen foi a grande surpresa da classificação ao posicionar sua Ferrari na primeira fila, ao lado do líder do campeonato. O finlandês anda muito bem nesta pista e a equipe italiana mostrou uma evolução significativa. Se Kimi estiver em um bom dia e a Ferrari não fizer besteira, pode vir o primeiro pódio da escuderia vermelha na temporada.

Creio que a maioria acreditava numa pole de Rubens Barrichello, mas tudo não passou de uma mera ilusão. O brasileiro novamente ficou atrás de seu companheiro de equipe e vai largar apenas no terceiro lugar. Barrichello a cada prova vem confirmando sua condição de segundo piloto. Hoje, dia do seu aniversário, quem soprou as velinhas foi Button.

Estreando o novo difusor, a Red Bull de Sebastian Vettel marcou o quarto tempo. Isso prova que a tal peça não é lá essas coisas que andaram dizendo. Vettel tem totais condições de brigar por um pódo, pois possui um bom carro e muito talento.

Felipe Massa fez um treino razoável e vai largar da quinta posição. O piloto da Ferrari errou no Q1, bateu e acabou perdendo o bico do carro, mas isso não o prejudicou na classificação. As condições para Felipe brigar por um pódio não são boas, mas em Mônaco tudo pode acontecer.

O Leão dos treinos livres, Nico Rosberg, andou bem na classificação e conseguiu posicionar sua Williams no sexto lugar. Logo atrás, em sétimo, está o piloto da McLaren, Heikki Kovalainen.

Mark Webber, da Red Bull, deixou um pouco a desejar com esta oitava colocação. Parece que o novo difusor não fez nenhum efeito para o australiano. Fernando Alonso, da Renault, com o nono tempo e Kazuki Nakajima, da Williams, com o décimo, fecham os dez primeiros colocados do grid de largada para o GP de Mônaco.

Button é o grande favorito e dificilmente a vitória irá espacar de suas mãos. Até quando vai este total domínio da Brawn GP? A largada para a corrida acontece na manhã deste domingo, às 09h, horário de Brasília.

Leandro Montianele

terça-feira, 19 de maio de 2009

O tradicional GP de Mônaco.

Está chegando o dia da corrida mais tradicional do calendário da Fórmula 1, o Grande Prêmio de Mônaco. Disputado nas ruas do principado, o charmoso GP tem presença constante na categoria desde o ano de 1955. Monte Carlo é um belo circuito que exige um certo preciosismo dos pilotos, pois qualquer erro se torna irreverssível.

É impossível não fazer uma alusão a figura do gênio Ayrton Senna quando se fala de Mônaco. De todos que guiaram naquela pista, Senna continua sendo o maior, mesmo após 15 anos do seu falecimento. Ayrton possui a marca de seis vitórias nas ruas de Monte Carlo, sendo cinco consecutivas com a equipe McLaren ( 1989 à 1993 ). O primeiro triunfo foi conquistado a bordo de uma Lótus no ano de 1987.

Quem não se lembra do GP de Mônaco de 1992? A Williams tinha um carro muito melhor do que o da McLaren, mas após um pit stop demorado de Nigel Mansell, Senna conseguiu pular para a ponta. Daquele momento em diante, o Rei de Mônaco segurou o ímpeto do Leão no braço, pois ele vinha colado tentando ultrapassa-lo de qualquer forma. O final todos sabem. Foi o quinto triunfo do gênio no principado. Simplismente emocionante.

O vencedor de 2008 foi o piloto Lewis Hamilton, da McLaren. Mesmo tendo o pneu traseiro direito estourado após ter tocado no muro, na sexta volta, Hamilton conseguiu se manter entre os primeiros e venceu pela primeira vez em Monte Carlo. Robert Kubica em segundo e Felipe Massa em terceiro lugar completaram o pódio.

Nesta temporada a equipe favorita é a Brawn GP, por tudo que tem feito nas últimas corridas, principalmente com o inglês Jenson Button. Temo que os carros da equipe de Ross Brawn dominem de uma forma que venha deixar a prova muito monótona, ou seja, um saco. Mas de qualquer forma surpresas podem aparecer.

Circuito: Monte Carlo
Corrida: 78 voltas / 260,520 km
Extensão: 3.340 km

Quero fazer aqui um agradecimento ao meu amigo Sávio Machado que mencionou o Loucos por F-1 na coluna "Dica de Leitura" em seu blog. Muito obrigado pelo reconhecimento, Sávio!

Leandro Montianele

sexta-feira, 15 de maio de 2009

O teto e o terremoto


Como temos acompanhado há um longo tempo já na Fórmula 1, a discussão sobre a imposição ou não de um teto orçamentário tem dividido os grandes chefes da categoria e os próprios amantes do esporte. É certo que existem vários pontos de vista a serem analisados e estudados criteriosamente. Vamos a eles:

Criação de teto orçamentário - Ponto a favor - Em um cenário de incertezas como o atual, a adoção de um teto não seria de total descabimento, pois, facilitaria o acesso de novos times e ainda contribuiria sensivelmente para a manutenção das atuais escuderias que compõe o grid de largada. Quanto ao valor deste teto, não tenho o atrevimento de palpitar a respeito porque tenho apenas informações a respeito de quanto cada equipe gasta, não sei qual o tamanho da máquina que é movida pela Fórmula 1 e nem como ela funciona. Seria muita pretensão da minha parte querer impor um valor à categoria. Acho interessante.
Ponto negativo - A categoria sempre se fez conhecida como principal laboratório das evoluções que chegam aos carros de rua. Pode ser que com a limitação de gastos, esta tendência de laboratório seja deixada em segundo plano pelos time, que, afinal de contas, terão que prezar pela competitividade e criatividade já que não dispõe de um grande orçamento, ou um orçamento "infindável", com capacidade de realizar novas captações no mercado.

Agora, o pior de tudo ainda está por vir. A idéia do Sr Mosley de colocar determinadas limitações para os times que cumprirem este possível teto a ser implementado e regras diferentes para quem não cumprir só pode ter um destino: o sanatório.

O que este senhor acha que está fazendo? Dividindo a categoria em obedientes e revoltados? Punindo o pessoal com maior poder aquisitivo porque ele não tem a devida capacidade de organizar em acordo eficaz de redução de custos para manter a categoria como referência mundial de qualidade e esportividade? Fazendo uma analogia, está fazendo como os que no Brasil lutam por cotas raciais nas universidades públicas, como se as pessoas de hoje fossem culpadas por arroubos cometidos há mais de 300 anos. Estão culpando pessoas com maior capacidade aquisitiva por estarem na vanguarda do conhecimento e da arrecadação, tal qual querem fazer com a Fórmula 1.

Estou do lado das equipes enquanto os, novamente, senhores engravatados insistirem em colocar em prática estas idéias mirabolantes que têm. É inadimissível que uma idéia desta seja levada a sério nos corredores decisórios do esporte mundial.

Faço fé que esta será mais uma medida descabida que não vingará neste trem da alegria de regras que virou a Fórmula 1. São meus votos.

Deyvison Nascimento.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Uma novela chamada Teto Orçamentário


Parece que mais uma novela estréia na Fórmula 1 e sem previsão de término. Quando todos achavam que estava resolvida a polêmica da "regrinha tosca", surge outra para deixar os amantes da categoria de cabeça quente, o tal teto orçamentário.

O novo regulamento limita o orçamento em 40 milhões de libras e as equipes que cumprirem este valor terão privilégios para desenvolverem seus carros durante a temporada. Aquelas que ultrapassarem esta quantia teriam seus trabalhos limitados. Nunca ouvi falar na história da Fórmula 1 sobre algum regulamente que deu regalias para equipe x ou y. Isso é totalmente ilógico.

As consequências dessa imposição feita pela FIA começam a aparecer. A escuderia com mais tempo na Fórmula 1, a Ferrari, ameaça retirar-se da categoria caso isso não mude. RBR, STR e Toyota se posicionaram da mesma forma e falam em não disputar o campeonato de 2010. Por último, a Renault também deixou claro o descontentamento com o regulamento e diz que pode não estar na próxima temporada.

Tenho a impressão que a maior categoria do automobilismo mundial enfrenta uma grande crise. Ninguém se entende, equipes ameaçando saída e total insatisfação com regras sem nexo. FIA, FOM e FOTA em momento algum se uniram para lutar pelos ideias da Fórmula 1. As guerras políticas tem falado mais alto e o esporte tem ficado de lado. Isso é muito triste.

Equanto nada de concreto surge, os fãs da categoria continuam esperando para saber o desenrolar dessa história. O prazo de inscrição das equipes vai até o dia 29/05, nos resta sentar e aguardar o fim de mais um dramalhão mexicano na Fórmula 1.

Leandro Montianele

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Resultado do Bolão

(clique na imagem para ampliar)

Esta etapa do Bolão mexeu muito na tabela de classificação, alguns subiram de posição e outros caíram, mas o líder se manteve no topo. Felipe_rsl conseguiu manter sua média na pontuação e continua em primeiro lugar, mas em Mônaco as coisas podem mudar de rumo.

Numa grande recuperação o meu amigo Deyvison pulou para a segunda posição, já brigando pelo primeiro posto. Quem mais pontou na rodada foi o Ronilson, cravando ótimos 40 tentos, saindo da décimo primeiro direto para o quarto lugar. O atual campeão, Marcelonso, tenta se recuperar e ocupa atualmente a nona colocação.
Daqui a duas semana acontece o GP de Mônaco e as apostas rolarão soltas.
Abraços!
Leandro Montianele

Troféu Papaleguas e Troféu Braço Duro GP da Espanha


Troféu Papaléguas

Jenson Button - mesmo perdendo o primeiro lugar na largada para seu companheiro de equipe, o inglês fez um boa corrida. Button se manteve constante durante toda a prova e se beneficiou com a mudança de estratégia para duas paradas no boxe, ao invés de três. Jenson venceu pela quarta vez na temporada e parmanece mais líder do que nunca. Se continuar neste rítimo, o piloto da Brawn conquistará o título com muita facilidade.

Mark Webber - o australiano desde o início da temporada tem andado atrás de seu companheiro de Red Bull, Sebastian Vettel. Mas neste Grande Prêmio da Espanha, Webber foi superior mesmo ficando atrás durante boa parte da prova. Quando exigido o piloto da RBR andou forte, conseguindo uma vantagem confortável para entrar nos pits e voltar na terceira posição. Pódio conquistado com méritos.





Troféu Braço Duro


Ferrari - a escuderia italiana começou sua saga de besteiras do final de semana já no sábado quando segurou Kimi Raikkonen no box, achando que o tempo dele era suficiente para ir ao Q2. Na corrida, a vítima da vez foi Felipe Massa. Simplismente o cálculo de combustível não foi preciso. No final da prova ele teve que diminuir o rítimo e entregar duas posições para conseguir levar o carro até o final sem acabar a gasolina. Cena patética da equipe Ferrari. Nota: Felipe afirmou que foi culpa da máquina e não de cálculo, mas eu não acredito nisso. Eles adoram acobertar as constantes cagadas.

E para você, quem mereceu levar o Troféu Papaléguas e o Troféu Braço Duro?

Leandro Montianele

domingo, 10 de maio de 2009

Button fatura mais uma vitória

Como eu havia mencionado anteriormente, seria muito difícil alguém tirar a vitória de Jenson Button no Grande Prêmio da Epanha e foi justamente isso que aconteceu. Em uma corrida pouco movimentada (sem contar o acidente no início envolvendo quatro carros) o inglês perdeu a ponta logo na largada para seu companheiro de equipe, mas ao optar por uma estratégia com duas paradas conseguiu voltar para o primeiro posto, de onde não saiu até cruzar a linha de chegada. Esta foi a quarta vitória de Button em cinco corridas, disparando assim na ponta do campeonato. Não tem o que discutir, Jenson é líder de forma incontestável.

Na segunda posição chegou o outro piloto da Barwn GP, Rubens Barrichello. O brasileiro realizou uma excelente largada pulando para o primeiro lugar e passou a andar sempre num rítimo muito forte. Parecia que a centésima vitória brasileira iria sair, mas Barrichello se perdeu na estratégia ao escolher fazer três paradas. Um segundo lugar amargo para Rubinho que dessa forma completou a dobradinha da escuderia predominante na Fórmula 1.

Mark Webber, da Red Bull, conquistou o terceiro lugar e completou a festa do pódio. O australiano esteve na quinta posição quase a corrida toda, mas após um segundo trecho longo onde andou forte, Webber fez sua parada e conseguiu voltar em terceiro. Pódio merecido para o piloto da RBR.

Talvez a grande surpresa, por não figurar entre o três primeiros, foi o jovem Sebastien Vettel. O alemão não fez uma boa largada e caiu para quarto, permanecendo ali o tempo todo. Vettel, em momento algum, conseguiu imprimir um bom rítimo, estando sempre atrás da Ferrari de Felipe Massa. No final, o quarto lugar acabou sendo um bom resultado para o piloto da RBR.

O piloto da casa, Fernando Alonso, conquistou um ótimo quinto lugar. Limitado por seu equipamento, o espanhol não poderia fazer nada além disso. Na última volta, Alonso ainda foi presenteado com esta posição após o problema de Massa. Festa da torcida espanhola mesmo sem Fernando estar no pódio.

Em mais uma cagada montruosa da Ferrari, o piloto Felipe Massa se arrastou para conseguir chegar na sexta posição. Massa largou muito bem e permaneceu em terceiro durante boa parte da prova, mas perdeu o lugar para Webber na parada no boxe. Quando parecia que o quarto lugar estava garantido veio o comunicado pelo rádio. Felipe não poderia manter o rítimo, pois não teria combustível suficiente para terminar a corrida. Diante disso o brasileiro precisou tirar o pé e perdeu posições. Erro de cálculo da escuderia atrapalhda que já havia errado com Raikkonen na classificação. O balanço possitivo para o brasileiro que marcou seus primeiros pontos na temporada, mas totalmente negativo para os italianos.

A BMW Sauber voltou a pontuar com Nick Heidfeld na sétima colocação e Nico Rosberg, da Williams, fechou os oito primeiros colocados do GP da Espanha.

Jenson Button lidera com folga o campeonato de pilotos, seguido por seu companheiro de equipe Rubens Barrichello. Se a Brawn GP continuar nesta tocada, Button irá faturar com facilidade o título da temporada. A próxima prova é o tradicional GP de Mônaco daqui a duas semanas, vamos ver quem reinará nas ruas do principado.

Leandro Montianele

sábado, 9 de maio de 2009

O peso de cada carro

Como costumeiramente, a FIA divulgou o peso dos carros para o Grande Prêmio da Espanha. O piloto Jenson Button, que conquistou a pole position, é o segundo mais leve do grid de largada, perdendo apenas para o piloto da casa, Fernando Alonso. Mesmo estando com pouco combustível, Button é favorito para a corrida, pois possui um ótimo carro em suas mãos.
Rubens Barrichello está um pouco mais pesado que seu companheiro de equipe e tem tudo para realizar uma boa provas e quem sabe chegar entre os três primeiros. O peso do carro de Felipe Massa apenas confirma o bom desempenho da Ferrari. Entre os seis primeiros do grid, Massa é o que tem mais conbustível, tendo boas chances de pódio.
1 - Jenson Button (ING/Brawn-Mercedes) - 646 kg 
2 - Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - 651,5 kg 
3 - Rubens Barrichello (BRA/Brawn-Mercedes) - 649,5 kg 
4 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 655 kg 
5 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - 651,5 kg 
6 - Timo Glock (ALE/Toyota) - 646,5 kg 
7 - Jarno Trulli (ITA/Toyota) - 655,5 kg 
8 - Fernando Alonso (ESP/Renault) - 645 kg 
9 - Nico Rosberg (ALE/Williams-Toyota) - 668 kg 
10 - Robert Kubica (POL/BMW Sauber) - 660 kg 
11 - Kazuki Nakajima (JAP/Williams-Toyota) - 676,6 kg
12 - Nelsinho Piquet (BRA/Renault) - 677,4 kg
13 - Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber) - 676,3 kg 
14 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - 683 kg 
15 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - 678 kg
16 - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - 673 kg
17 - Sebastien Bourdais (FRA/STR-Ferrari) - 669 kg 
18 - Heikki Kovalainen (FIN/McLaren-Mercedes) - 657 kg 
19 - Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - 675 kg 
20 - Giancarlo Fisichella (ITA/Force India-Mercedes) - 656 kg
Leandro Montianele

Button é pole na Espanha

Pela terceira vez na temporada, o inglês Jenson Button conquista a pole position. Essa foi uma pole com gostinho especial, alcançada bem no finalzinho da classificação, quando ninguém mais esperava alguma coisa no treino. O interessante é que Button abriu sua volta faltando dois segundos para o encerramento, bem no limite. Primeiro lugar do grid mais do que merecido para o piloto da Brawn que a cada Grande Prêmio tem confirmado seu favoritismo no campeonato. É candidato forte a uma vitória na corrida, sem dúvidas.

O alemão Sebastian Vettel teve a pole em suas mãos até o último carro cruzar a linha de chegada fechando volta, ou seja, Jenson Button. De qualquer forma é uma ótima posição de largada para Vettel que brigará por vitória na prova. O mais curioso é que a equipe RBR mantém um ótimo rendimento mesmo sem o tal difusor diferenciado.

Rubens Barrichello, mais uma vez, não conseguiu se posicionar à frente de seu companheiro de equipe e vai sair da terceira posição. Rubinho até que andou bem, mas não o suficiente para cravar o primeiro tempo. Parece que Barrichello vem se consolidando mesmo como segundo piloto da Brawn GP.

No quarto lugar vem a surpresa da classificação, Felipe Massa com a Ferrari. A equipe italiana veio se arrastando durante as quatro primeiras corridas e na Espanha parece começar a esboçar uma reação. Felipe andou forte e conseguiu uma ótima posição na segunda fila, mas basta sabermos se a equipe terá um rítimo de corrida bom para, quem sabe, sonhar com um pódio.

O australiano Mark Webber marcou o quinto tempo e continua apanhando de seu companheiro de equipe. Nem o papel de leão de treino ele tem conseguido desempenhar.

A Toyota vem tendo um desempenho razoável desde os treinos livres de sexta. Diante disso, Timo Glock não passou de um sexto lugar. O italiano Jarno Trulli vem logo atrás com a sétima posição.

Fernando Alonso, o piloto da casa, limitado por seu equipamente vai largar da oitava colocação. Muitos esperavam que Alonso tentasse uma pole para sua torcida, mas isso não aconteceu. O espanhol da Renault dificilmente brigará por alguma coisa além de um sexto ou sétimo lugar na corrida.

O "Rei" do treinos de sexta-feira, Nico Rosberg, da Williams, vai sair em nono. Não tem jeito, Rosberg não consegue render na classificação e não consegue passar de um posição intermediário no grid.

O polonês Robert Kubica, da BMW Sauber, fecha os dez primeiros colocados para o Grande Prêmio da Espanha.

Espero que a corrida não seja monótona, pois o circuito de Barcelona é bem travado, dificultando a realização de ultrapassagens. Jenson Button é o grande favorito, será difícil alguém roubar esta quarta vitória dele na temporada amanhã.

Leandro Montianele


sexta-feira, 8 de maio de 2009

Voltaram atrás

Para a alegria de todos e felicidade geral da nação, a regrinha tosca foi deixada de lado novamente. A Dona FIA voltou atrás e o campeão da temporada 2010 sairá mesmo nos pontos, graças a Deus. Não tenho dúvidas que foi um grande alívio para os amantes da categoria, mas basta sabermos até quando manterão esta decisão.
Afirmaram que houve um erro na publicação do documento, mas achei estranho demorarem tanto tempo assim para realizarem a correção do equívoco. O importante mesmo é tudo ter voltado ao normal, seja com ou sem engano da Dona FIA.
Neste final de semana tem Grande Prêmio da Espanha e como toda corrida a expectativa é grande. No sábado às 09h acontece o treino classificatório e a corrida será domingo no mesmo horário.
Esta semana estive ausente das atividades do blog por motivos de trabalho, mas no final de semana todo voltará ao normal.
Leandro Montianele

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Confirmado! Quem vencer mais, leva


A Dona FIA confirmou! O piloto que mais vezes vencer corridas na temporada 2010 da Fórmula 1 será o campeão. Parece que todas as críticas, esperneios e brigas não adiantaram para que a lamentável regra imposta pela Federação deixasse de entrar em vigor.

Isso apenas confirma a vitória política de Mosley, Ecclestone e companhia limitada no circo da Fórmula 1. Dessa forma, a ditadura e o puro interesse se fazem ainda mais presentes neste esporte comandado por idiotas engravatados que pensam apenas em seus próprios bolsos. O charme da categoria continua se esvaindo para dar lugar aos negócios. O que mais querem fazer?

Imaginem se esta forma de decidir o campeão tivesse sido colocado em prática já neste ano. O inglês Jenson Button que possui três vitórias em quatro corridas estaria feliz da vida, pois o mais próximo dele numa briga por título mundial seria Sebastian Vettel com apenas um triunfo. Dificilmente o campeonato sairia das mãos de Button, pois uma vantagem de números de vitórias é muito complicada de ser tirada.

Este ínicio de temporada tem mostrado que a "regrinha tosca" é uma péssima idéia e que não dará certo. Minhas esperanças são poucas, mas espero que isso seja repensado e a tradicional regra dos pontos continue imperando soberanamente.

Leandro Montianele

[OFF] Flamengo, Tricampeão Carioca


Como todos sabem, tanto eu quanto o Deyvison somos torcedores fanáticos do Flamengo, o mais querido do mundo. Portanto, quero fazer uma singela homenagem ao Mengão pela conquista do campeonato carioca pela terceira vez consecutiva em cima do Botafogo. Agora, o Rubro-Negro carioca soma 31 títulos estaduais e se tornou o maior vencedor da história.

Parabéns ao Clube de Regatas Flamengo por mais uma conquista!!

MENGÃO SEMPRE!!!

Leandro Montianele

domingo, 3 de maio de 2009

Abertura temporada 2009 da BBC

Este vídeo nada mais é que a abertura criada pela BBC para temporada 2009 da Fórmula 1. A rede britânica ficou longos 12 anos sem transmitir a categoria máxima do automobilismo mundial e voltou marcando presença com este excelente trabalho. A riqueza nos detalhes do carro montando é impressionante, muito bem feito mesmo. Vale a pena conferir!

video

Leandro Montianele

sexta-feira, 1 de maio de 2009

15 anos sem Senna


O que se faz em 15 anos? Muda-se uma vida, tantas outras passam a existir, mais outro tanto deixam de existir. O mundo muda. Você muda. O seu círculo de amizades muda. Só não muda um sentimento: a dor da perda do Nosso Herói.

A dor não em seu sentimento literal, mas em seu sentido figurado, quando observamos as lacunas que ele nos deixou. A ausência de ídolos de verdade, que sirvam de exemplo para nossas crianças, a falta de garra, gana, ambição de vitória, de mostrar a todo o mundo que eles não faziam mais que a obrigação de súditos quando se curvavam cumprindo reverência a um brasileiro. O mundo se curva diante do Brasil.

Durante os já longínquos anos do fim da década de 1980 e início da década de 1990, este foi o sentimento que tomava conta de todo o povo tupiniquim nas manhãs de domingo. Durante 65 manhãs de sábado pudemos olhar altivos, com superioridade, não havia ninguém na nossa frente. Era pole. Mais uma delas. E cravada com uma técnica já consagrada, saindo com um filete de gasolina, uma volta voadora perfeita e ta lá. Ayrton Senna é pole. Por mais 41 domingos pudemos ver a bandeira brasileira no lugar mais alto do pódio, bandeira esta que ele tanto se orgulhava em carregar, em um gesto nascido no GP dos EUA de 1986, que vingara mais uma decepção da Seleção Canarinho com um passeio nos franceses do Circo.

Senna era um adepto do trabalho. Já que sem ele, nenhum mérito é válido e duradouro. Como ele mesmo dizia: "A Fórmula 1 é um tempo perdido se não for para vencer." E venceu! Como venceu! Com trabalho. E não é que o destino quis pregar uma peça em todos nós. Eis que no dia do trabalho, o maior exemplo brasileiro de que com trabalho sério, capacitação e vontade consegue-se as metas ditas impossíveis, põe um ponto final em sua tragetória no circuito de San Marino, após violentíssimo acidente.

Vem o silêncio. Vem a letargia. Um povo que até então via seu ídolo como imortal, superior, comprovou da maneira mais dolorosa que ele é de carne e osso. Humano. Erros infelizmente ocorrem, acidentes idem. Em um destes, o mundo perdeu seu referencial de trabalho duro, de vontade de vencer.

O que foi duramente construído durante 15 anos, desde a época do kart até o fatídico domingo de San Marino, acabou. Em milésimos de segundo. O tempo que parecia ter passado tão rápido dado o deleite que ele nos trazia semanalmente demorou para passar, não é mesmo? A cada dia vemos esta lenda nacional sendo mais esquecida pelos grandes meios de comunicação do país. Triste daquele país, povo ou instituição que não respeita seu passado. Não o admira. Não o vangloria. O homem que por 15 anos fez a sua tarefa de demonstrar - sou brasileiro! - no automobilismo, no mesmo período é abandonado pelo seu país natal.

Os admiradores de Ayrton Senna dedicaram-no uma estrela, para que o brilho de seu nome não se apague nunca da memória da humanidade. E é assim que sinto, é assim que vejo. Seu nome, sua inspiração, jamais deixará de habitar meu espírito onde quer que vá, o que quer que eu faça.

Não é uma data para se comemorar, mas é uma data para que possamos relembrar todos os célebres episódios do melhor piloto da história, a despeito de todo e qualquer número que possa vir a ser apresentado, é o melhor e não resta dúvidas. É uma data para que façamos ao menos 15 segundos de de meditação para lembrarmos de seu nome, nada mais que isso porque certamente o desagradaria, estaríamos muito lentos.

Certamente, de onde estiver, ele acompanha todos nós de uma maneiro especial, zelando por cada um de alguma forma. E, com certeza, todo esse carinho é retribuído diariamente por meio de nossos pensamento e atos. Acelera Senna, seu destino será sempre o alto do pódio. Seja ele o das corridas, o de nossas mentes, o de nossos corações.

Que possamos ter um pouco de toda a sabedoria que você você demonstrou durante a vida, que tenhamos a capacidade de guiar na ponta dos dedos toda essa paixão que temos pelo automobilismo que você tanto gostava, para que continuemos sempre zelando pelo seu nome e por sua história.

Valeu Senna. Do Brasil.

Deyvison Nascimento.